DÉCIMA EDIÇÃO DA OFICINA MEU PRIMEIRO FILME VAI ATÉ JUNHO, EM BATATAIS

Iniciou-se em 5 de março a décima edição da Oficina de Técnica Cinematográfica Meu Primeiro Filme de Batatais, com projeto de produzir 6 curtas, e apresentá-los em evento festivo ao público, em meados de junho, como a X MOSTRA DO CINEASTA BATATAENSE.

O programa, criado em 2007 pelo cineasta José Adalto Cardoso, é aplicado no município todos os anos ininterruptamente, e tem por finalidade fomentar a prática amadora da atividade audiovisual no município. Tem apoio da prefeitura local através do seu departamento de Cultura e, em 2015 também contou, pela primeira vez, com o Proac.

Nestes nove anos de existência (até 2015), o Meu Primeiro Filme já atendeu a mais de 500 interessados da comunidade (Batatais e região), e produziu 86 curtas, todos realizados pelos próprios participantes.

Durante a oficina, que dura de 3 a 6 meses, os participantes formam pequenos subgrupos de produção e, juntos, criam, roteirizam, preparam , filmam e finalizam o seu curta, com a menor intervenção possível dos monitores.

“Neste processo é respeitada a capacidade de criação do grupo, tanto na roteirização, filmagem, como na finalização. O que nós fazemos é supervisionar os trabalhos, dar rumos, corrigir, aplicar técnicas de cinema, mas não interferindo, nunca, na mensagem final que o grupo quer passar”, explica o coordenador e monitor da Oficina, Rogério Takashi.

Como em todos os anos, os filmes curtos produzidos durante a oficina, serão apresentados em evento público, também de forma gratuita, como a Mostra do Cineasta Batataense. Para este ano de 2016 está programada a realização da X MOSTRA DO CINEASTA BATATAENSE em junho.

A Mostra conta, sempre que possível, com a participação de um profissional da área artística como paraninfo da turma. No ano passado o nosso paraninfo foi Maurício Manfrini (Paulinho Gogó). Em anos anteriores, tivemos David Cardoso, José Mojica Marins, Guilherme de Almeida Prado e outros, também paraninfando turmas.

O programa é monitorado por Rogério Takashi e Renan de Omote, com supervisão de José Adalto Cardoso.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *